Economia

Vendas do comércio desaceleram em outubro, mas setor tem 6ª alta seguida

Alta foi de apenas 0,1% em outubro, após avanço de 0,8% em setembro. No acumulado no ano, crescimento é de 1,6%.

As vendas do comércio varejista cresceram 0,1% em outubro na comparação com o mês anterior, o que representa uma desaceleração frente a alta de 0,8% registrada em setembro, segundo dados divulgados nesta quarta-feira (11) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Trata-se do resultado mais fraco desde maio, quando o avanço também foi de 0,1%.

Apesar da perda de ritmo, foi o 6º mês seguido de crescimento do varejo.

“O índice de média móvel trimestral, após acréscimo de 0,6% no trimestre encerrado em setembro, mostrou perda de ritmo no trimestre encerrado em outubro (0,4%)”, informou o IBGE.

Alta de 1,6% no ano

Na comparação com o outubro do ano passado, houve alta de 4,2% – sétima taxa positiva seguida.

No acumulado no ano, o avanço chega a 1,6%. Em 12 meses, a alta passou de 1,6% em setembro para 1,8% em outubro, mantendo a trajetória de recuperação gradativa do setor, embora ainda abaixo do ritmo registrado em outubro do ano passado, quando acumulava alta de 2,8%.

Segundo a gerente da pesquisa, Isabella Nunes, o varejo está encerrando 2019 melhor do que iniciou. “Isso por conta do quadro conjuntural mais favorável ao consumo, com uma melhora no mercado de trabalho, apesar de predominar a informalidade, e na massa de rendimentos. A liberação do FGTS e a inflação controlada também impulsionaram as vendas. Além disso, houve um aumento na concessão de crédito para pessoa física, o que estimula a aquisição de bens duráveis”, avaliou.

O IBGE também informou que a receita nominal (que não desconta a inflação) do comércio cresceu 0,5% na passagem de setembro para outubro e 5,2% na comparação com ou de 2018.

6 das 8 atividades cresceram em outubro

Segundo o IBGE, 6 das 8 atividades pesquisadas tiveram alta no volume de vendas em outubro.

As maiores altas ocorreram nos segmentos de equipamentos e material para escritório, informática e comunicação (5,3%) e combustíveis e lubrificantes (1,7%). Já o setor de supermercados e produtos alimentícios teve queda de 0,1%, após avançar 4% entre maio e setembro.

Já o comércio varejista ampliado, que inclui veículos automotivos e material de construção, registrou um resultado melhor – alta de 0,8% na passagem de agosto para setembro. Com isso, cresceu 3,6% no indicador acumulado no ano e 3,8% em 12 meses até setembro.

Considerando o comércio varejista ampliado, que inclui veículos e materiais de construção, o volume de vendas cresceu 0,8% em outubro, na comparação com setembro, refletindo uma alta de 2,4% nas vendas de veículos, motos, partes e peças e avanço de 2,1% do material de construção.

Veja o desempenho de cada segmento em outubro:

  • Combustíveis e lubrificantes: 1,7%
  • Hipermercados, supermercados, produtos alimentícios, bebidas e fumo: -0,1%
  • Tecidos, vestuário e calçados: 0,2%
  • Móveis e eletrodomésticos: 0,9%
  • Artigos farmacêuticos, médicos, ortopédicos e de perfumaria: 1,2%
  • Livros, jornais, revistas e papelaria: -1,1%
  • Equipamentos e material para escritório, informática e comunicação: 5,3%
  • Outros artigos de uso pessoal e doméstico: 0,3%
  • Veículos, motos, partes e peças: 2,4% (varejo ampliado)
  • Material de construção: 2,1% (varejo ampliado)
Mostrar Mais

Relacionados

Close
Close