Fixo

Justiça condena a 56 anos de prisão traficantes de 33 toneladas de maconha; a maior apreensão do país na época

Flagrante foi no dia 26 de agosto de 2020, em Maracaju. Três homens foram presos.

A Justiça de Mato Grosso do Sul condenou a 56 anos de prisão em regime fechado os três traficantes presos com 33 toneladas de maconha em uma carreta, no dia 26 de agosto do ano passado, em Maracaju, a 157 quilômetros de Campo Grande. Foi a maior apreensão da droga no país, até então.

De acordo com a sentença proferida nessa quarta-feira (09) pelo juiz Marco Antonio Montagnana Morais, os três réus foram condenados pelos crimes de tráfico de drogas e associação para o tráfico.

O motorista da carreta respondeu ainda por desobedecer ordem de funcionário público, pois não parou o veículo quando policiais do Departamento de Operações da Fronteira (DOF) determinaram.

As condenações ficaram assim:

  • Motorista da carreta foi condenado a 18 anos de reclusão, 18 dias de detenção e pagamento 2.212 dias-multa;
  • outro acusado a 19 anos, 6 meses, 7 dias de reclusão e 2.389 dias-multa
  • e o terceiro a 18 anos e 6 meses de reclusão e 2.316 dias-multa.

 

“Pela quantidade de droga apreendida e material probatório colhido na persecução penal, percebe-se claramente que os réus estavam associados de forma estável e permanente, uma vez que a atividade delitiva não se desenvolveu de um dia para o outro. Não resta dúvida quanto à existência de forte ânimo associativo entre os réus, com estabilidade e permanência para o fim de traficar drogas”, escreveu Montagnana.

Apreensão

 

O DOF fazia patrulhamento na MS-156, quando deu ordem de parada ao motorista da carreta, que seguia no sentido contrário ao da viatura. O motorista desobedeceu os policiais e tentou manobrar para entrar com o veículo em uma estrada vicinal.

No entanto, o condutor não conseguiu fazer a manobra, abandonou a carreta às margens da rodovia e fugiu a pé levando a chave do veículo, não sendo localizado. Os policiais revistaram as carrocerias e encontraram os tabletes de maconha. Não havia nenhuma carga lícita. O DOF levou quatro horas para concluir a pesagem do entorpecente.

Um carro que seguia logo atrás da carreta foi abordado e nele estavam os dois homens que foram presos. Eles faziam o serviço de batedor, avisando ao motorista do veículo com a droga sobre a presença de polícia nas rodovias.

Mostrar Mais
Botão Voltar ao topo