BrasilCatástrofeFixo

Após redução da chuva, Minas Gerais ainda se recupera de estragos, prejuízos e mortes

De acordo com a Defesa Civil Estadual, 24 pessoas morreram, 3.992 ficaram desabrigadas, 24.610 desalojadas e 341 municípios estão em situação de emergência.

Apesar da redução da chuva, cidades mineiras ainda estão se recuperando de estragos, prejuízos e mortes nesta quinta-feira (13). Os temporais aconteceram, de forma intermitente, de 5 de janeiro até a madrugada desta quarta-feira (12).
De acordo com dados divulgados pela Defesa Civil Estadual nesta quarta-feira (12), 24 pessoas morreram, 3.992 ficaram desabrigadas, 24.610 desalojadas e 341 municípios estão em situação de emergência.

Veja como ajudar as vítimas das chuvas em Minas Gerais
Chuva dá trégua em Belo Horizonte e cidade amanhece com sol após 7 dias; veja previsão
Chuvas: em 24 horas, MG registra mais de 10 mil desalojados e 5 mortes; cidades em emergência passam de 145 para 341
Veja a situação de alguns municípios:
Nova Lima

Devastação em Honório Bicalho, em Nova Lima — Foto: Reprodução/TV Globo
Devastação em Honório Bicalho, em Nova Lima — Foto: Reprodução/TV Globo

No distrito de Honório Bicalho, em Nova Lima, na Grande BH, as ruas amanheceram com muita lama e móveis destruídos do lado de fora das casas.

O nível do Rio das Velhas, que subiu aproximadamente sete metros, abaixou nesta quinta-feira, mas, antes, o grande volume de água derrubou muros, alambrados, imóveis e tombou veículos. Há pontos intransitáveis, carros atolados e encobertos por barro e móveis espalhados.

Quatro mil moradores foram afetados na cidade, 600 casas atingidas e 162 pessoas que estavam ilhadas foram resgatadas.

Rua tomada completamente por lama em Honório Bicalho — Foto: Reprodução/TV Globo
Rua tomada completamente por lama em Honório Bicalho — Foto: Reprodução/TV Globo

Betim

Comerciantes fazem limpeza na manhã desta quinta-feira (13) — Foto: Reprodução/TV Globo
Comerciantes fazem limpeza na manhã desta quinta-feira (13) — Foto: Reprodução/TV Globo

Em Betim, por causa do transbordamento do Córrego Bandeirinhas, a região do bairro Citrolândia foi uma das mais prejudicadas. Comerciantes amanheceram o dia limpando a sujeira: havia muita lama e entulho nas ruas.

Da última sexta-feira (7) até a quarta-feira (12), houve 1.386 chamados – a maioria de alagamentos, inundações. Os bairros mais prejudicados são Citrolândia, Nossa Senhora de Fátima e Teresópolis.

Trinta e seis mil pessoas foram prejudicadas, há 276 desabrigadas e 9.251 desalojadas.

Brumadinho

Estrada que dá acesso a Casa Branca está esburacada — Foto: Reprodução/TV Globo
Estrada que dá acesso a Casa Branca está esburacada — Foto: Reprodução/TV Globo

A estrada que liga o distrito de Casa Branca a Brumadinho está repleta de buracos e água da chuva.

A equipe de reportagem da TV Globo presenciou deslizamentos de terra ocupando parte de vias em Brumadinho, e demorou duas horas e 30 minutos para chegar ao Centro.

Funcionários da prefeitura faziam limpeza de ruas enlameadas.

O último balanço divulgado pela Defesa Civil Municipal informava que havia 887 pessoas desalojadas e 305 desabrigadas.

O Globocop sobrevoou a cidade e registrou ainda muita inundação, apesar de o nível do Rio Paraopeba ter abaixado um pouco.

Acesso ao distrito de Casa Branca, em Brumadinho, está cheio de buracos — Foto: Reprodução/TV Globo

Acesso ao distrito de Casa Branca, em Brumadinho, está cheio de buracos — Foto: Reprodução/TV Globo

Mário Campos

Parte de Mário Campos está sob alagamentos — Foto: Reprodução/TV Globo
Parte de Mário Campos está sob alagamentos — Foto: Reprodução/TV Globo

O Globocop sobrevoou a cidade e registrou imagens impressionantes: casas totalmente submersas.

Uma delas, de dois andares, estava com o primeiro pavimento totalmente debaixo d’água.

Em imóveis vizinhos era possível ver somente o telhado.

Raposos

Doações recebidas são levadas para ginásio polisportivo — Foto: Reprodução/TV Globo
Doações recebidas são levadas para ginásio polisportivo — Foto: Reprodução/TV Globo

Em Raposos, moradores e comerciantes fazem a limpeza de imóveis. Na cidade há 10 mil desabrigados e desalojados.

Doações como alimentos, materiais de limpeza e água mineral que chegam são colocadas em um ginásio poliesportivo. Cerca de 2 mil pessoas já se cadastraram para receber a ajuda.

Fonte G1.
Redação Gdsnews.

Mostrar Mais
Botão Voltar ao topo